Neste blog, daremos algumas excelentes dicas para os treinadores nos dias de jogo. À medida que nos aproximamos de um jogo, é uma oportunidade para os nossos jogadores consolidarem o seu aprendizado e receberem novos desafios para enfrentarem. As partidas fornecerão uma variedade de desafios diferentes com base no tamanho do campo, formato, tipo de competição e nível do adversário, que podem afetar a forma como você instrui seus jogadores durante o jogo. Além disso, também vamos explorar coisas que o treinador pode fazer no pré-jogo, durante o jogo e no pós-jogo. Para começar, é importante que, antes de qualquer partida, você entenda seu objetivo e o que está tentando alcançar. Por exemplo, se você está em uma competição e está tentando vencer o jogo, isso pode interferir na maneira como você aborda um dia de jogo ou, da mesma forma, se for um amistoso, isso também pode alterar a maneira como você aborda o jogo. Portanto, como treinadores, precisamos entender o objetivo do jogo e quais são os resultados que você está tentando alcançar.

Pré-jogo:

Um pré-jogo pode consistir em muitos elementos diferentes, como: chegada dos jogadores, relembrar as jogadas de bola parada, pensar nos objetivos da equipe e individuais, além de fazer aquecimento. Dependendo da idade de seus jogadores, a forma em que você aborda um pré-jogo pode variar, bem como o seu objetivo no jogo. Em primeiro lugar, um pré-jogo é um ótimo momento para consolidar o aprendizado da semana e definir qual é o objetivo do jogo. Por exemplo, ao trabalhar na Fase de Fundação (sub-5 ao sub-12), o tempo antes do jogo é uma excelente oportunidade para obter algum tempo de contato adicional com os jogadores dentro e fora do campo. Este tempo pode ser usado conversando com os jogadores para conectá-los e ativá-los antes do jogo (ciclo de aprendizagem), bem como fornecer-lhes treinos que lhes permitam lembrar algo em que trabalharam durante a semana. Meu desafio para qualquer treinador que esteja trabalhando na Fase de Fundação é usar o dia do jogo como uma extensão do treinamento.

O tempo que você tem antes do jogo é extremamente valioso. Por exemplo, se você está treinando apenas uma vez por semana, o tempo adicional que você tem antes do jogo é uma grande oportunidade para os jogadores terem um treino adicional. Com muita frequência, tenho visto treinadores fazendo com que crianças pequenas façam um aquecimento de time profissional, com jogadores fazendo alongamentos e depois entrando em uma fila para finalizar, com um jogador de cada vez finalizando depois de fazer uma tabela com o treinador. Embora isso possa ter alguns benefícios, também há uma série de pontos negativos a serem considerados e, o ideal é que forneçamos às crianças coisas que elas não podem fazer em casa enquanto estão em nosso ambiente. Outro ponto importante a destacar é que os goleiros também devem ser incluídos. Inclua seus goleiros em seus treinos antes do jogo em campo ou inclua finalizações para que eles pratiquem algumas de suas técnicas de defesa, saída de bola e distribuição, que eles podem precisar usar durante o jogo. Da mesma forma, você pode capacitar seus goleiros para conduzirem seu próprio aquecimento com outros goleiros de outras faixas etárias ou mesmo do outro time.

Aqui estão alguns exemplos dos tipos de aquecimentos que você pode querer usar antes dos seus jogos:

Usar um treino competitivo pode ser uma abordagem que agrada as crianças antes da partida. Uma competição é uma ótima maneira de usar seu tempo de contato com os jogadores enquanto adiciona alguns desafios ou temas para eles focarem para levar para dentro da partida.

Os jogos de posse de bola são outra maneira de engajar seus jogadores quando eles chegam, fazendo com que pratiquem a retenção da posse de bola. Existem várias maneiras de vincular esses jogos a um tema, ou seja, você pode orientar seus jogadores a defenderem de certa maneira até recuperarem a posse de bola, e focar nesse estilo de defesa.

Os jogos de pega-pega são uma maneira divertida de fazer as crianças se movimentarem e se envolverem antes do jogo. Como treinador, você pode vincular seus jogos de movimento ao foco do jogo. Por exemplo, se você está se concentrando no jogo de ataque no último terço do campo, pode colocar um jogo de pega-pega em que os jogadores devem usar movimentos diferentes para passar pelos seus oponentes.

A prática individual pode ser uma excelente maneira de preparar seus jogadores, deixando-os praticar o que quiserem antes do jogo ou dando a eles áreas específicas para praticarem individualmente também. Alguns exemplos de como você pode preparar os jogadores antes do jogo é levá-los a praticar áreas como rebotes, finalizações ou 1 x 1 antes do jogo.

Durante a partida:

Há muitas considerações sobre como você pode atuar durante a partida, desde seu estilo como treinador, intervenções no intervalo, como utilizar as substituições, delegar funções a outros treinadores e consciência de “com quem” e “o que” você está comunicando durante o jogo.

Os estilos dos treinamentos devem ser considerados com base no resultado que você deseja. Por exemplo, usar comandos e mais informações diretas pode ajudar os jogadores a saber onde eles precisam estar ou o que precisam fazer sem necessariamente pensar no porquê. Por exemplo, às vezes você pode precisar dizer a um jogador para voltar ou fazer a recuperação, enquanto outra abordagem pode ser simplesmente fazer uma pergunta ao jogador como ‘qual é o problema que estamos enfrentando?’. Às vezes, comunicar-se com os jogadores durante um jogo pode ser muito difícil para eles ouvirem e aceitarem as informações que você está fornecendo. Portanto, você precisará decidir quais informações devo fornecer durante o jogo e quais informações posso passar no próximo intervalo. Outras maneiras pelas quais você pode passar informações para os jogadores é por meio de outro jogador ou chamando ele para a linha lateral para conversar durante alguma das pausas do jogo.

Uma ótima maneira de ver se a sua postura está adequada é quando os jogadores vêm até você, eles esperam em silêncio, prontos para você falar como treinador ou para começar a discutir sobre o jogo. Como treinadores, devemos procurar maneiras de variar nossas intervenções no intervalo para criar um ambiente em que os jogadores estejam envolvidos em discussões ou com as informações que estão recebendo. Alguns exemplos de como você pode fazer isso são:

  • Mostrando-os em campo e repassando os pontos de treinamento.
  • Jogadores que sugerem as mudanças.
  • Sem dizer nada… Às vezes, o silêncio pode ser eficaz e fazer os jogadores pensarem antes da segunda metade.
  • Falar ou mostrar coisas individualmente..
  • Usando recursos visuais, como um quadro branco.

Para qualquer treinador, precisamos ter certeza de que estamos nos comunicando de forma eficaz. Portanto, uma dica útil pode ser anotar alguns dos pontos-chave que você deseja compartilhar com os jogadores para que eles voltem para o jogo com clareza no que precisam focar para ajudá-los e desafiá-los ainda mais no jogo. Esteja Tenha certeza que não vai passar um excesso de informação. Com base nisso, uma ótima maneira de verificar isso é fazer com que alguém faça uma análise sobre que tipo de comunicação você usou e com quem. Muitas vezes, os treinadores podem ser induzidos a passar informações aos jogadores mais próximos deles nas laterais, pois são eles que ouvem o treinador com mais facilidade, esteja ciente de quem é o que você está comunicando para que ele não fique sobrecarregado com informações.

Os jogadores fora do time titular podem participar de tudo durante os dias de jogo com bastante facilidade. Isso pode ser feito pedindo para que eles façam observações sobre o jogo ou um jogador que vão conversar no intervalo, comandando o time ou até mesmo fazendo alguma análise que pode ser compartilhada ou utilizada por você como treinador. Da mesma forma, se você tiver vários reservas, poderá criar um treino ou um jogo para eles jogarem para mantê-los ativos enquanto estiverem fora. Você pode até fazê-los jogar com os reservas do adversário enquanto o jogo está acontecendo!

Por último, delegar funções a outros treinadores pode ser outra forma de ajudar os jogadores. Por exemplo, se você tiver outro técnico com você, pode ser que um técnico se concentre em manter posse de bola e o outro se concentre na recuperação da posse. Isso garantirá que os treinadores não falem ao mesmo tempo e passem pelos mesmos pontos. Outra maneira pode ser fazer com que seus treinadores auxiliares se concentrem em jogadores ou jogadores específicos durante o jogo. Você pode até usá-los para fazer algumas análises sobre seu tema ou indivíduos que também podem ser compartilhadas com eles.

Depois do jogo:

Em nosso Podcast com Mark Bennett, Mark fala sobre uma “análise quente e fria”, que é uma ótima maneira para os treinadores avaliarem o jogo. Uma “análise quente” é um comentário que ocorre imediatamente após o jogo, quando você está em um estado mais emotivo. Uma “análise fria” geralmente ocorre alguns dias depois, onde você pode revisar sem emoção. Esse mesmo princípio pode ser aplicado com os jogadores… Precisamos analisar sempre logo após o jogo? Ou precisa mesmo de uma crítica? Uma ótima maneira de vincular seu próximo contato com seus jogadores ao que foi aprendido no jogo ou a um problema que eles enfrentaram é permitir algum tempo para consolidação na próxima sessão. Por exemplo, você pode desafiar seus jogadores a jogar um jogo com os mesmos problemas que seu adversário lhe proporcionou no jogo anterior. Isso dará a você e aos seus jogadores a oportunidade de passar o tempo trabalhando em outras soluções que eles podem encontrar se enfrentarem um problema semelhante novamente.

O uso da tecnologia também pode ser levado em consideração, como ajudar os jogadores com videoclipes da equipe, individuais ou dos adversários que os ajudam a analisar o jogo.